terça-feira, 19 de agosto de 2014

Conversas à meia-noite (e 38)

Eu- S. estás bêbado?
S.- Eu...estou alegremente descontrolado!!!

Espero não acordar os vizinhos com as gargalhadas!!!

Verão bom

Das coisas boas do Verão:
Manos a dormir um soninho descansado depois de um dia inteiro ee folia, pais a jantar na varanda com direito a aperitivo,  bom vinho verde e gin de sobremesa...e tributo aos Bon Jovi a tocar ao vivo ali a uns metros.
Não sou grande fã,  mas fazem indiscutivelmente parte da nossa adolescência e valeram as gargalhadas que demos a cantar.

Não têm preço estes momentos com ele...

Um amor maior do as palavras...

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sou chique e não sabia!!!!

Olha que bem!!!!
Nas minhas deambulações domésticas de última hora, fui à procura de folhetos dos super e hipermercados da zona a ver se tinham o que preciso com alguma promoção...e eis que descubro um folheto inteirinho sobre uma das minhas bebidas preferidas (a seguir à água e a um bom vinho ;)), e que ao que parece está bastante na "moda"...o gin!!!!!

Ora toma lá que já lá vão os anos que és chique e nem sabias!!!

Danou-se!!!!!

Acabámos por trocar o que tanto ansiávamos vai para 7 anos...
O antes... e o depois...
ADORO!!!!!!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Book hangover

Costumo ter...mas desta vez bateu forte!!! Bemmmmmmm forte!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Ele





Imagem daqui

                         
Ele corre. Eu?! Adoro!!!! Que ele corra, claro, porque eu detesto correr!

Foi jogador federado (não, não de futebol!) e licenciou-se em Ciências do Desporto e Ed. física e sempre foi muito activo e atlético. Depois do casamento, e em parte pela vidinha boa que a esposa lhe proporciona...isso e ter assumido funções mais de gestão e menos de aulas, ganhou uns quilitos que o incomodavam.
Este ano abandonou quase por completo essas funções e voltou às aulas a miúdos, graúdos e seniores (o que eu sempre achei que lhe tinha ficado a fazer imensa falta!!!), o que lhe voltou a dar muito mais ânimo e todo ele se transformou...voltou a ser o S. que eu conhecia!! Alegre, bem-disposto, activo...decidiu que estava na hora de voltar a cuidar de si, e na pausa do almoço começou a correr. Aos poucos, com perseverança e muita força de vontade foi reconquistando a condição física que parecia perdida...e o orgulho que eu tenho dele?!!!!
Este foi o homem por quem me apaixonei!!! Um lutador!! Se achei piada logo no início?!!! Nem por isso...com as preocupações do trabalho andava um pouco distante e frustrado, e eu pensei que ia ser mais um bocado em que ele ia estar afastado de mim, de nós. E como eu estava enganada!!!!!!
Além de ter imensa actividade física nas aulas (aqui me confesso que adoro vê-lo a dar hidro's), procura sempre espaços entre as aulas ou intervalos de almoço para correr o que não interfere em nada com os horários familiares. O efeito?!!! Não podia ser melhor!!! Faz-lhe bem ao corpo (a gerência está a adorar!!!) e à mente...há anos que não o via tão solto e genuinamente feliz! O tempo que estamos os dois ou os quatro é todo para nós, sem interferências de pensamentos ou chamadas do trabalho.
Os alunos, esses, alguns ainda se lembravam dele a adoraram o regresso!

E aqui que ninguém me ouve, adoro a mulherada a ter aulas com e sair a comentar do prof. e ele sair do balneário ainda com o cabelo molhado do duche, para lá de sexy e vir dar-me um beijo com aquele enorme sorriso de menino!!!

E como este meu PT é o máximo, até sonho com os dias em que ele corre e eu caminho...adoro quando ele passa por mim e eu posso admirar o material que tenho em casa ;)

domingo, 10 de agosto de 2014

Momento fofinho do dia #2

Mãe e os metralhas no carro.
I. diz que tinha uma ferida e que tinha sangue, que a mãe tinha que pôr um penso. Estranhei a ferida, era mais uma das dele só para eu meter um penso.

I. - Mãe olha, tenho sangue! Tens que pôr um penso. Olha mãe, olha!
Mãe - Oh I., a mãe está a conduzir, agora não posso olhar.
I. - (Num tom dramático) Aiiiiiiiiiiiiiiiii que me está a doer muito...aiiii...aiiii...aiii
      R., sopra, e tens que me dar um beijinho!

<3 É um beijoqueiro este meu D. Juan...até à irmã!!!!

Juízos de valor e os filtros

Desde que perdi o meu pai que tenho comentado com algumas pessoas mais próximas que perdi muitos dos filtros que tinha. Não me tornei desbocada, mas tenho uma tolerância abaixo de zero sobre alguns assuntos e com algumas pessoas. No entanto, sei que isso não me dá o direito de comentar tudo o que me apetece, na altura que me apetece e onde quer que esteja. Muito menos se não estiver na posse de todas as informações.
Acredito que tecer juízos de valor é próprio da natureza humana e que todos, sejamos melhores ou piores pessoas, mais desbocadas ou mais discretas, todos, o fazemos. A diferença está na forma como lidamos com estas nossas opiniões e por mim, gosto muito de as manter cá dentro e normalmente só saem numa conversa mais intima com alguém mesmo muito próximo.

Um exemplo.
Na 5ª-feira quando fui ao hospital levar a segunda dose de penicilina, o estacionamento estava, para variar, a abarrotar e a minha mâe enfiou-se num cantinho e, apesar de não atrapalhar a circulação, ela preferiu ficar no carro, caso fosse necessário retirá-lo. Ia eu a caminho da entrada e vejo uma mulher ao volante de um carro que entrou a todo o gás no estacionamento e deixou o carro no primeiro espaço que encontrou...e digamos que esse espaço era o único que permitia a circulação das viatura. Como que num reflexo pensei logo na falta de respeito para com os restantes utentes, que se tinha pressa viesse mais cedo, mas segui o meu caminho. À entrada ouvia-se o burburinho da velocidade e da falta de civismo...passei e nem me passou pela cabeça abrir a boca!
Quando fui chamada à sala de enfermagem estava um rebuliço, um médico a ligar para o centro de intoxicações e enfermeiros a fazer uma lavagem ao estômago de uma rapariga de 19 anos que tinha emborcado uma ou duas caixas de brufen. Gelei. Assim que saí da sala vejo a condutora do tal carro num farrapo. Amãe. Não chorava, via-se a ira, a frustração e o medo na sua expressão, tinha as caixas dos medicamentos nas mãos.
Senti-me estúpida e tão injusta!!! No lugar dela quem não teria feito o mesmo?!!! Bem...eu se calhar ainda tinha feito pior e tinha deixado o carro mesmo à porta. 

sábado, 9 de agosto de 2014

Estas coisas das esposas



Imagem daqui

Sempre me fez confusão quando ouvia as mulheres a dizer que não conseguiam dormir bem quando os maridos não estavam em casa (ou mesmo na cama!). Aiiiiii o que eu ri e achei enjoadinhas as pobres.
E eis-me aqui, uma vossa pobre enjoadinha assumida!!! Que raio é isto de sentir a falta dele ao meu lado...mesmo com este calor!!!
 Infelizmente tive o primeiro vislumbre de que ia ser assim quando ele foi para o Porto uma semana inteirinha 4 meses depois do casamento. Depois começou a trabalhar nesta feira "do" medieval (como diz o I.) e é todos os anos o mesmo.

Bem...ontem a coisa não foi pior e ainda que já meia embalada, ainda consegui esperar por ele...
Aiiii estas coisas do amor...

600 views

Obrigada!!!!
Até podia estar com falsas modéstias e dizer que escrevo por mim e que não me importo se tenho muitos ou poucos seguidores, mas não seria verdade!!!
Claro que escrevo por mim e é um cantinho muito meu, mas gosto que me visitem e me escrevam, que se sintam à vontade com o que dou de mim e que o retribuam com um pouco de vós.

Obrigada e...sintam-se em casa!!! ;)

Mudanças

Há cerca de 2 meses fiz 34 anos. Txiiii...já 34!!! A verdade é que não os sinto. 
Sinto que desde que fiz 18 anos tenho vivido tão a 1000 km/h. Exactamente 3 meses depois de ter feito os 18 mudei-me para Coimbra...a quase 500 km de casa. Não conhecia ninguém, ou quem conhecia era de vista, e curiosamente nem sequer era da minha região demográfica! Foi uma experiência e tanto, a adaptação, mas fenomenal. Eu, filha única e extremamente apegada aos meus pais, foi a primeira vez que me vi sozinha. Foram semanas muito intensas e carregadas de memórias felizes.
Um mês e meio depois comecei a namorar com o S., que ainda estava na terrinha. 2 anos depois também foi para Coimbra, onde trabalhava e estudava. Demos um passo importante na nossa relação e partilhámos um apartamento (bem...uma casinha mini mini e velhinha, mas a casa que me ficou no coração). Estudar e ao mesmo tempo crescer para gerir a minha casa e a minha vida foi avassalador, mas permitiu que me fosse descobrindo e, aos poucos, a ele e a nós.
Voltei para casa dos meus pais. Comecei a trabalhar. Fui pedida em casamento e 3 anos depois de ter voltado, casámos. Começámos a tentar aumentar a família. Muitas lágrimas e muito sofrimento...nasce o I. e tudo volta ganha um novo sentido. Fico sem trabalho. O meu pai adoece. Muitas lágrimas e muito sofrimento, mas lutámos, todos juntos e fomos superando cada obstáculo. O meu pai melhora. O I. faz um ano e "aparece" a R.. O susto que apanhámos meu Deus...todos!!! E tudo se encaixou...havia de correr tudo bem! Nasce e o meu pai volta a adoecer. Continuamos a lutar. Perdemo-lo mas sinto que não totalmente...sinto-o em nós e não dá para esquecer nunca o legado que deixou.
Fazendo esta retrospectiva tão breve dos meus últimos 16 anos sinto que mudei tanto. Que a minha essência foi descoberta e mantida, mas que surgiram tantas nuances nas alterações à forma como vivo. 
Acho que é natural...não podemos viver os dias, com todas as rotinas e novidades que se nos apresentam e continuar a sempre iguais. Algumas dessas mudanças foram tão subtis, tão naturais. Outras muito bruscas e quase todas baseadas na dor e da procura de minimizar o sofrimento...principalmente relativamente a algumas pessoas, das quais optei por me afastar, outras cujo afastamento não intencional foi progressivo.
Ultimamente, sinto que mudei...mas agora baseada na alegria e na felicidade, ou melhor, na contínua procuras delas. Foi uma mudança brusca, e apesar de eu não ser uma pessoa de me queixar de tudo e de todos e até ter uma postura bastante positiva (com os meus dias negros, que também não diferente do resto do mundo), sinto-me plena, tranquila (haha...a maior parte do tempo lolol) e muito mais feliz.
E isso reflecte-se em todos...os sorrisos por aqui andam maiores do que nunca!!! E o que eu amo ver os dentinhos dos manos todos de fora nas gargalhadas!!!

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Dia de terourinhos

Com esta coisa da feira, tenho o S. em casa até meio da tarde e hoje foi ele a minha companhia quando fui levar a última dose de penicilina.
Já nem me lembro como começou a conversa e fomos dar aos nossos tempos do liceu, dos tempos em que fomos colegas de turma e claro, do inicio atípico do nosso namoro. Passámos pelos nossos colegas até à forma como nos vestíamos na altura. Adorei recordar alguns dos momentos que nos marcaram e foi giro perceber a perspectiva que tínhamos naqueles dias e a que temos hoje. O melhor de tudo é que já se passaram 17 anos desde que nos começámos a nos descobrir como amigos e já há quase 16 que nos encontrámos como namorados. É muita fruta. Passámos por muita m****, mas também somos felizes à brava!!!

Fui buscar os miúdos à "escolinha" e encontrei uma ex-colega da escola primária que é auxiliar de educação lá. De vez em quando falamos um bocadinhos e hoje, as coisas estavam calmas, começámos a falar dos fantoches que as crianças andavam a fazer (o nosso trouxe ontem ;)) e fomos parar nos desenhos que ela fazia, e como ela tinha jeito para desenhar!!!! Daí a ela começar a recordar a restante turma foi um pulinho, e foi tão giro!!!!!!!!! 

Hoje foi um dia de memórias felizes...essas são sempre bem-vindas!

Feiras Medievais

Quando estava a estudar em Coimbra adorava a feira de lá. Subidos meia dúzia de degraus (literalmente) e estava lá! Sentia-me, eu própria a viver naqueles tempos e era giro à brava. Aqui logo ao lado também a fazem já lá vão uns bons anos e...detesto!!!!!

O motivo?!!!! Tira-me o homem pra mais de uma semana!!! E vá lá que este ano não me posso queixar! Nos anos anteriores chegava a casa às 4, 5 ou 6 da manhã e não, não ia para os copos com os amigos quando o recinto fechava...era mesmo a fazer contas porque a responsabilidade dele era enorme. No fim da edição passada disse ao chefe que este ano não estava a pensar ir, mas com as eleições e a entrada de um novo executivo, trouxe a responsabilidade de organização para um amigo do S. e ele, depois de trazer o assunto a discussão em reunião de família, optou por apoiar o amigo, com a condição de reponsabilidades menores o que teria também implicações no horário...chegando a casa incomparavelmente mais cedo. A ver vamos...

Diz que sim, que a malta costuma gostar de feiras medievais...por estes dias...eu nem posso ouvir falar delas!!!

Não gosto #1

De olhar pela janela a esta hora e aperceber-me de que os dias estão a ficar consideravelmente mais pequenos.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Todos os dias são bons dias para...

mudar.
Hoje foi o dia!
Apesar de nunca ter sido uma rapariga com complexos, tive sempre algum peso a mais e 2 anos depois de estar na faculdade a coisa começou a acentuar-se. Apesar de não ter ganho muito peso quando estive grávida, a verdade é os 6 kg que ganhei na última, nunca os cheguei a perder. Espantem-se...hoje, a roçar os 23 meses do nascimento dela, continuo com o mesmo peso :(. 
Consultas de nutrição, análises, indicação para cirurgia, nutricionista diz que não como compulsivamente por isso não me encaminha, efectivamente para seguir o processo de cirurgia. Estou agora na expectativa da consulta de endocrinologia. Sim, e a SOP também parece que não está a ajudar nada...
Decidi que não vou seguir o caminho cirúrgico e os cuidados com a alimentação já são mais que muitos...só estava a uma coisinha...o exercício físico!
Apesar de em casa andar sempre de um lado para o outro, e tenho dias em que até almoço em movimento, faltava algo mais!
Os ginásios por aqui fecharam (e com o bom tempo até é pecado estar fechada no meio de 4 paredes) e de manhã estava tão cheia de sono que voltei para a cama. Mas decidi que tinha que ser hoje...ou melhor, senti, que teria que ser hoje!
A melhor parte?!!! Pegar nas trouxas para começar a caminhar e desafiar o marido para correr à mesma hora! Foi delicioso partilhar com ele mais este momento e esta decisão!
Obrigado pela motivação que me dás sempre apesar de, tal como te dizia, a mudança ter que partir de mim!
Estou orgulhosa de mim, confesso! E como recompensa fomos buscar os manos à escolinha e foi a festa completa!!!
Amanhã há mais!!!

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Desabafo

Eu até sou uma pessoa open minded e prefiro ouvir o que as pessoas têm a dizer antes de tecer alguma consideração...quer verbalizando, quer fique apenas nos meus pensamentos. E é tão irritante conversar ou ler com alguém que acredita com todas as suas forças que tem razão acima de tudo e de todos quando é apenas uma questão de perspectiva! Piora ainda um pouco quando a opinião não é baseada em todos os factos disponíveis e mais...quando há mesmo uma negação em saber ou tentar perceber mais...enfim...

Segundo o dicionário Priberan:


o·pi·ni·ão 

(latim opinio-onis)
substantivo feminino
1. Modo de ver pessoal. = IDEIA
2. Juízo que se forma de alguém ou de alguma coisa.
3. Adesão pessoal ao que se crê bom ou verdadeiro. = CONVICÇÃOCRENÇA
4. Manifestação das ideias individuais a respeito de algo ou alguém (ex.: dar a sua opinião). = PARECERVOTO
5. Credo político. (Usado também no plural.) = CRENÇA
6. [Informal]  Sentimento exagerado de orgulho ou confiança em si próprio. = AMOR-PRÓPRIOPRESUNÇÃO


"opinião", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/opini%C3%A3o [consultado em 04-08-2014].



Atentem no ponto 1, 3 e 4, opinão é baseada nas nossas circunstâncias pessoais e por isso, regra geral divergem de pessoa para pessoa. E, mesmo que duas (ou mais) opiniões sejam convergentes, geralmente, também estas têm nuances. 

Agora imaginem que o tema em questão é tabú...

Manifestação de preferências...

... no concurso de professores...já disse que é chato como a potassa?!!!!!

Dias a correr

Adoro quando as semanas passam a correr mas tiramos delas tanta coisa boa!!!
Não sou propriamente uma fã incondicional do Verão, mas os dias são longos, brilhantes, e há que maximizar todas as possibilidades de ser feliz.
Na semana anterior gastei uma quantia jeitosa em livros para os manos e trouxe um para mim. Li-o assim de um dia para o outro (ou melhor, de uma noite para a outra!). Soube-me tãoooooo bem!!!!! Já nem me lembro qual o último livro que tinha lido...e meu Deus, como eu adoro ler!!!
E se música sou bastante ecléctica, com os livros não sou menos...ok, menos policiais, não gosto de policiais, pelo menos até agora! E se por um lado gosto de alguma literatura mais profunda, também tenho os meus momentos de pegar em alguma mais leve e "fácil".
Sou uma mulher e adoro histórias de amor...mas quem não gosta?! Gosto de histórias que marcam, de páginas que nos fazem reflectir, porque acredito que qualquer que seja a forma de escrita, nunca é tempo perdido o que gasto a ler. Gosto de romances que acabam "em bem", mas já nem conto pelos dedos das duas mãos os que não têm um fim "viveram felizes para sempre". Ahhh...também não gosto delivros de auto-ajuda, os que supostamente ajudam a melhorar a auto-estima e transformar o ser humano numa pessoa melhor...sem querer ferir susceptibilidades, porque cada um gosta do que quer e mais nada...respeito.
Ora que a feira do livro se manteve e eu permiti-me ao luxo de comprar mais uns quantos e...olhem...o tempo "livre" que tive foi canalizado para ali! Não houve cá blog nem facebook...e por um triz nem havia para e-mail!!! E o bem que me soube!!! Haverá alguma coisa mais romântica do que ir para cama relativamente cedo e estar com o marido a ler?!!! Pois...com certeza que há, mas nós prezamos muito estes momentos.
Foi uma literatura muito fácil e rápida, mas que me está a marcar muito. Ainda estou a reflectir se publico a minha opinião pessoal...simplesmente porque tenho a certeza de que não é consensual e tudo o que tenho lido tem sido bastante polémico...honestamente até aceito, mas não compreendo!

Entretanto ainda houve tempo para passeios em família, visitas aos piratas (2 dias depois os manos ainda falam a toda a hora!!!) e viagens a lojas de electrodomésticos não planeadas...
Por aqui se têm passado os dias...assim...