terça-feira, 19 de agosto de 2014

Conversas à meia-noite (e 38)

Eu- S. estás bêbado?
S.- Eu...estou alegremente descontrolado!!!

Espero não acordar os vizinhos com as gargalhadas!!!

Verão bom

Das coisas boas do Verão:
Manos a dormir um soninho descansado depois de um dia inteiro ee folia, pais a jantar na varanda com direito a aperitivo,  bom vinho verde e gin de sobremesa...e tributo aos Bon Jovi a tocar ao vivo ali a uns metros.
Não sou grande fã,  mas fazem indiscutivelmente parte da nossa adolescência e valeram as gargalhadas que demos a cantar.

Não têm preço estes momentos com ele...

Um amor maior do as palavras...

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Sou chique e não sabia!!!!

Olha que bem!!!!
Nas minhas deambulações domésticas de última hora, fui à procura de folhetos dos super e hipermercados da zona a ver se tinham o que preciso com alguma promoção...e eis que descubro um folheto inteirinho sobre uma das minhas bebidas preferidas (a seguir à água e a um bom vinho ;)), e que ao que parece está bastante na "moda"...o gin!!!!!

Ora toma lá que já lá vão os anos que és chique e nem sabias!!!

Danou-se!!!!!

Acabámos por trocar o que tanto ansiávamos vai para 7 anos...
O antes... e o depois...
ADORO!!!!!!

quarta-feira, 13 de agosto de 2014

Book hangover

Costumo ter...mas desta vez bateu forte!!! Bemmmmmmm forte!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Ele





Imagem daqui

                         
Ele corre. Eu?! Adoro!!!! Que ele corra, claro, porque eu detesto correr!

Foi jogador federado (não, não de futebol!) e licenciou-se em Ciências do Desporto e Ed. física e sempre foi muito activo e atlético. Depois do casamento, e em parte pela vidinha boa que a esposa lhe proporciona...isso e ter assumido funções mais de gestão e menos de aulas, ganhou uns quilitos que o incomodavam.
Este ano abandonou quase por completo essas funções e voltou às aulas a miúdos, graúdos e seniores (o que eu sempre achei que lhe tinha ficado a fazer imensa falta!!!), o que lhe voltou a dar muito mais ânimo e todo ele se transformou...voltou a ser o S. que eu conhecia!! Alegre, bem-disposto, activo...decidiu que estava na hora de voltar a cuidar de si, e na pausa do almoço começou a correr. Aos poucos, com perseverança e muita força de vontade foi reconquistando a condição física que parecia perdida...e o orgulho que eu tenho dele?!!!!
Este foi o homem por quem me apaixonei!!! Um lutador!! Se achei piada logo no início?!!! Nem por isso...com as preocupações do trabalho andava um pouco distante e frustrado, e eu pensei que ia ser mais um bocado em que ele ia estar afastado de mim, de nós. E como eu estava enganada!!!!!!
Além de ter imensa actividade física nas aulas (aqui me confesso que adoro vê-lo a dar hidro's), procura sempre espaços entre as aulas ou intervalos de almoço para correr o que não interfere em nada com os horários familiares. O efeito?!!! Não podia ser melhor!!! Faz-lhe bem ao corpo (a gerência está a adorar!!!) e à mente...há anos que não o via tão solto e genuinamente feliz! O tempo que estamos os dois ou os quatro é todo para nós, sem interferências de pensamentos ou chamadas do trabalho.
Os alunos, esses, alguns ainda se lembravam dele a adoraram o regresso!

E aqui que ninguém me ouve, adoro a mulherada a ter aulas com e sair a comentar do prof. e ele sair do balneário ainda com o cabelo molhado do duche, para lá de sexy e vir dar-me um beijo com aquele enorme sorriso de menino!!!

E como este meu PT é o máximo, até sonho com os dias em que ele corre e eu caminho...adoro quando ele passa por mim e eu posso admirar o material que tenho em casa ;)

domingo, 10 de agosto de 2014

Momento fofinho do dia #2

Mãe e os metralhas no carro.
I. diz que tinha uma ferida e que tinha sangue, que a mãe tinha que pôr um penso. Estranhei a ferida, era mais uma das dele só para eu meter um penso.

I. - Mãe olha, tenho sangue! Tens que pôr um penso. Olha mãe, olha!
Mãe - Oh I., a mãe está a conduzir, agora não posso olhar.
I. - (Num tom dramático) Aiiiiiiiiiiiiiiiii que me está a doer muito...aiiii...aiiii...aiii
      R., sopra, e tens que me dar um beijinho!

<3 É um beijoqueiro este meu D. Juan...até à irmã!!!!

Juízos de valor e os filtros

Desde que perdi o meu pai que tenho comentado com algumas pessoas mais próximas que perdi muitos dos filtros que tinha. Não me tornei desbocada, mas tenho uma tolerância abaixo de zero sobre alguns assuntos e com algumas pessoas. No entanto, sei que isso não me dá o direito de comentar tudo o que me apetece, na altura que me apetece e onde quer que esteja. Muito menos se não estiver na posse de todas as informações.
Acredito que tecer juízos de valor é próprio da natureza humana e que todos, sejamos melhores ou piores pessoas, mais desbocadas ou mais discretas, todos, o fazemos. A diferença está na forma como lidamos com estas nossas opiniões e por mim, gosto muito de as manter cá dentro e normalmente só saem numa conversa mais intima com alguém mesmo muito próximo.

Um exemplo.
Na 5ª-feira quando fui ao hospital levar a segunda dose de penicilina, o estacionamento estava, para variar, a abarrotar e a minha mâe enfiou-se num cantinho e, apesar de não atrapalhar a circulação, ela preferiu ficar no carro, caso fosse necessário retirá-lo. Ia eu a caminho da entrada e vejo uma mulher ao volante de um carro que entrou a todo o gás no estacionamento e deixou o carro no primeiro espaço que encontrou...e digamos que esse espaço era o único que permitia a circulação das viatura. Como que num reflexo pensei logo na falta de respeito para com os restantes utentes, que se tinha pressa viesse mais cedo, mas segui o meu caminho. À entrada ouvia-se o burburinho da velocidade e da falta de civismo...passei e nem me passou pela cabeça abrir a boca!
Quando fui chamada à sala de enfermagem estava um rebuliço, um médico a ligar para o centro de intoxicações e enfermeiros a fazer uma lavagem ao estômago de uma rapariga de 19 anos que tinha emborcado uma ou duas caixas de brufen. Gelei. Assim que saí da sala vejo a condutora do tal carro num farrapo. Amãe. Não chorava, via-se a ira, a frustração e o medo na sua expressão, tinha as caixas dos medicamentos nas mãos.
Senti-me estúpida e tão injusta!!! No lugar dela quem não teria feito o mesmo?!!! Bem...eu se calhar ainda tinha feito pior e tinha deixado o carro mesmo à porta. 

sábado, 9 de agosto de 2014

Estas coisas das esposas



Imagem daqui

Sempre me fez confusão quando ouvia as mulheres a dizer que não conseguiam dormir bem quando os maridos não estavam em casa (ou mesmo na cama!). Aiiiiii o que eu ri e achei enjoadinhas as pobres.
E eis-me aqui, uma vossa pobre enjoadinha assumida!!! Que raio é isto de sentir a falta dele ao meu lado...mesmo com este calor!!!
 Infelizmente tive o primeiro vislumbre de que ia ser assim quando ele foi para o Porto uma semana inteirinha 4 meses depois do casamento. Depois começou a trabalhar nesta feira "do" medieval (como diz o I.) e é todos os anos o mesmo.

Bem...ontem a coisa não foi pior e ainda que já meia embalada, ainda consegui esperar por ele...
Aiiii estas coisas do amor...

600 views

Obrigada!!!!
Até podia estar com falsas modéstias e dizer que escrevo por mim e que não me importo se tenho muitos ou poucos seguidores, mas não seria verdade!!!
Claro que escrevo por mim e é um cantinho muito meu, mas gosto que me visitem e me escrevam, que se sintam à vontade com o que dou de mim e que o retribuam com um pouco de vós.

Obrigada e...sintam-se em casa!!! ;)

Mudanças

Há cerca de 2 meses fiz 34 anos. Txiiii...já 34!!! A verdade é que não os sinto. 
Sinto que desde que fiz 18 anos tenho vivido tão a 1000 km/h. Exactamente 3 meses depois de ter feito os 18 mudei-me para Coimbra...a quase 500 km de casa. Não conhecia ninguém, ou quem conhecia era de vista, e curiosamente nem sequer era da minha região demográfica! Foi uma experiência e tanto, a adaptação, mas fenomenal. Eu, filha única e extremamente apegada aos meus pais, foi a primeira vez que me vi sozinha. Foram semanas muito intensas e carregadas de memórias felizes.
Um mês e meio depois comecei a namorar com o S., que ainda estava na terrinha. 2 anos depois também foi para Coimbra, onde trabalhava e estudava. Demos um passo importante na nossa relação e partilhámos um apartamento (bem...uma casinha mini mini e velhinha, mas a casa que me ficou no coração). Estudar e ao mesmo tempo crescer para gerir a minha casa e a minha vida foi avassalador, mas permitiu que me fosse descobrindo e, aos poucos, a ele e a nós.
Voltei para casa dos meus pais. Comecei a trabalhar. Fui pedida em casamento e 3 anos depois de ter voltado, casámos. Começámos a tentar aumentar a família. Muitas lágrimas e muito sofrimento...nasce o I. e tudo volta ganha um novo sentido. Fico sem trabalho. O meu pai adoece. Muitas lágrimas e muito sofrimento, mas lutámos, todos juntos e fomos superando cada obstáculo. O meu pai melhora. O I. faz um ano e "aparece" a R.. O susto que apanhámos meu Deus...todos!!! E tudo se encaixou...havia de correr tudo bem! Nasce e o meu pai volta a adoecer. Continuamos a lutar. Perdemo-lo mas sinto que não totalmente...sinto-o em nós e não dá para esquecer nunca o legado que deixou.
Fazendo esta retrospectiva tão breve dos meus últimos 16 anos sinto que mudei tanto. Que a minha essência foi descoberta e mantida, mas que surgiram tantas nuances nas alterações à forma como vivo. 
Acho que é natural...não podemos viver os dias, com todas as rotinas e novidades que se nos apresentam e continuar a sempre iguais. Algumas dessas mudanças foram tão subtis, tão naturais. Outras muito bruscas e quase todas baseadas na dor e da procura de minimizar o sofrimento...principalmente relativamente a algumas pessoas, das quais optei por me afastar, outras cujo afastamento não intencional foi progressivo.
Ultimamente, sinto que mudei...mas agora baseada na alegria e na felicidade, ou melhor, na contínua procuras delas. Foi uma mudança brusca, e apesar de eu não ser uma pessoa de me queixar de tudo e de todos e até ter uma postura bastante positiva (com os meus dias negros, que também não diferente do resto do mundo), sinto-me plena, tranquila (haha...a maior parte do tempo lolol) e muito mais feliz.
E isso reflecte-se em todos...os sorrisos por aqui andam maiores do que nunca!!! E o que eu amo ver os dentinhos dos manos todos de fora nas gargalhadas!!!

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

Dia de terourinhos

Com esta coisa da feira, tenho o S. em casa até meio da tarde e hoje foi ele a minha companhia quando fui levar a última dose de penicilina.
Já nem me lembro como começou a conversa e fomos dar aos nossos tempos do liceu, dos tempos em que fomos colegas de turma e claro, do inicio atípico do nosso namoro. Passámos pelos nossos colegas até à forma como nos vestíamos na altura. Adorei recordar alguns dos momentos que nos marcaram e foi giro perceber a perspectiva que tínhamos naqueles dias e a que temos hoje. O melhor de tudo é que já se passaram 17 anos desde que nos começámos a nos descobrir como amigos e já há quase 16 que nos encontrámos como namorados. É muita fruta. Passámos por muita m****, mas também somos felizes à brava!!!

Fui buscar os miúdos à "escolinha" e encontrei uma ex-colega da escola primária que é auxiliar de educação lá. De vez em quando falamos um bocadinhos e hoje, as coisas estavam calmas, começámos a falar dos fantoches que as crianças andavam a fazer (o nosso trouxe ontem ;)) e fomos parar nos desenhos que ela fazia, e como ela tinha jeito para desenhar!!!! Daí a ela começar a recordar a restante turma foi um pulinho, e foi tão giro!!!!!!!!! 

Hoje foi um dia de memórias felizes...essas são sempre bem-vindas!

Feiras Medievais

Quando estava a estudar em Coimbra adorava a feira de lá. Subidos meia dúzia de degraus (literalmente) e estava lá! Sentia-me, eu própria a viver naqueles tempos e era giro à brava. Aqui logo ao lado também a fazem já lá vão uns bons anos e...detesto!!!!!

O motivo?!!!! Tira-me o homem pra mais de uma semana!!! E vá lá que este ano não me posso queixar! Nos anos anteriores chegava a casa às 4, 5 ou 6 da manhã e não, não ia para os copos com os amigos quando o recinto fechava...era mesmo a fazer contas porque a responsabilidade dele era enorme. No fim da edição passada disse ao chefe que este ano não estava a pensar ir, mas com as eleições e a entrada de um novo executivo, trouxe a responsabilidade de organização para um amigo do S. e ele, depois de trazer o assunto a discussão em reunião de família, optou por apoiar o amigo, com a condição de reponsabilidades menores o que teria também implicações no horário...chegando a casa incomparavelmente mais cedo. A ver vamos...

Diz que sim, que a malta costuma gostar de feiras medievais...por estes dias...eu nem posso ouvir falar delas!!!

Não gosto #1

De olhar pela janela a esta hora e aperceber-me de que os dias estão a ficar consideravelmente mais pequenos.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Todos os dias são bons dias para...

mudar.
Hoje foi o dia!
Apesar de nunca ter sido uma rapariga com complexos, tive sempre algum peso a mais e 2 anos depois de estar na faculdade a coisa começou a acentuar-se. Apesar de não ter ganho muito peso quando estive grávida, a verdade é os 6 kg que ganhei na última, nunca os cheguei a perder. Espantem-se...hoje, a roçar os 23 meses do nascimento dela, continuo com o mesmo peso :(. 
Consultas de nutrição, análises, indicação para cirurgia, nutricionista diz que não como compulsivamente por isso não me encaminha, efectivamente para seguir o processo de cirurgia. Estou agora na expectativa da consulta de endocrinologia. Sim, e a SOP também parece que não está a ajudar nada...
Decidi que não vou seguir o caminho cirúrgico e os cuidados com a alimentação já são mais que muitos...só estava a uma coisinha...o exercício físico!
Apesar de em casa andar sempre de um lado para o outro, e tenho dias em que até almoço em movimento, faltava algo mais!
Os ginásios por aqui fecharam (e com o bom tempo até é pecado estar fechada no meio de 4 paredes) e de manhã estava tão cheia de sono que voltei para a cama. Mas decidi que tinha que ser hoje...ou melhor, senti, que teria que ser hoje!
A melhor parte?!!! Pegar nas trouxas para começar a caminhar e desafiar o marido para correr à mesma hora! Foi delicioso partilhar com ele mais este momento e esta decisão!
Obrigado pela motivação que me dás sempre apesar de, tal como te dizia, a mudança ter que partir de mim!
Estou orgulhosa de mim, confesso! E como recompensa fomos buscar os manos à escolinha e foi a festa completa!!!
Amanhã há mais!!!

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Desabafo

Eu até sou uma pessoa open minded e prefiro ouvir o que as pessoas têm a dizer antes de tecer alguma consideração...quer verbalizando, quer fique apenas nos meus pensamentos. E é tão irritante conversar ou ler com alguém que acredita com todas as suas forças que tem razão acima de tudo e de todos quando é apenas uma questão de perspectiva! Piora ainda um pouco quando a opinião não é baseada em todos os factos disponíveis e mais...quando há mesmo uma negação em saber ou tentar perceber mais...enfim...

Segundo o dicionário Priberan:


o·pi·ni·ão 

(latim opinio-onis)
substantivo feminino
1. Modo de ver pessoal. = IDEIA
2. Juízo que se forma de alguém ou de alguma coisa.
3. Adesão pessoal ao que se crê bom ou verdadeiro. = CONVICÇÃOCRENÇA
4. Manifestação das ideias individuais a respeito de algo ou alguém (ex.: dar a sua opinião). = PARECERVOTO
5. Credo político. (Usado também no plural.) = CRENÇA
6. [Informal]  Sentimento exagerado de orgulho ou confiança em si próprio. = AMOR-PRÓPRIOPRESUNÇÃO


"opinião", in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/opini%C3%A3o [consultado em 04-08-2014].



Atentem no ponto 1, 3 e 4, opinão é baseada nas nossas circunstâncias pessoais e por isso, regra geral divergem de pessoa para pessoa. E, mesmo que duas (ou mais) opiniões sejam convergentes, geralmente, também estas têm nuances. 

Agora imaginem que o tema em questão é tabú...

Manifestação de preferências...

... no concurso de professores...já disse que é chato como a potassa?!!!!!

Dias a correr

Adoro quando as semanas passam a correr mas tiramos delas tanta coisa boa!!!
Não sou propriamente uma fã incondicional do Verão, mas os dias são longos, brilhantes, e há que maximizar todas as possibilidades de ser feliz.
Na semana anterior gastei uma quantia jeitosa em livros para os manos e trouxe um para mim. Li-o assim de um dia para o outro (ou melhor, de uma noite para a outra!). Soube-me tãoooooo bem!!!!! Já nem me lembro qual o último livro que tinha lido...e meu Deus, como eu adoro ler!!!
E se música sou bastante ecléctica, com os livros não sou menos...ok, menos policiais, não gosto de policiais, pelo menos até agora! E se por um lado gosto de alguma literatura mais profunda, também tenho os meus momentos de pegar em alguma mais leve e "fácil".
Sou uma mulher e adoro histórias de amor...mas quem não gosta?! Gosto de histórias que marcam, de páginas que nos fazem reflectir, porque acredito que qualquer que seja a forma de escrita, nunca é tempo perdido o que gasto a ler. Gosto de romances que acabam "em bem", mas já nem conto pelos dedos das duas mãos os que não têm um fim "viveram felizes para sempre". Ahhh...também não gosto delivros de auto-ajuda, os que supostamente ajudam a melhorar a auto-estima e transformar o ser humano numa pessoa melhor...sem querer ferir susceptibilidades, porque cada um gosta do que quer e mais nada...respeito.
Ora que a feira do livro se manteve e eu permiti-me ao luxo de comprar mais uns quantos e...olhem...o tempo "livre" que tive foi canalizado para ali! Não houve cá blog nem facebook...e por um triz nem havia para e-mail!!! E o bem que me soube!!! Haverá alguma coisa mais romântica do que ir para cama relativamente cedo e estar com o marido a ler?!!! Pois...com certeza que há, mas nós prezamos muito estes momentos.
Foi uma literatura muito fácil e rápida, mas que me está a marcar muito. Ainda estou a reflectir se publico a minha opinião pessoal...simplesmente porque tenho a certeza de que não é consensual e tudo o que tenho lido tem sido bastante polémico...honestamente até aceito, mas não compreendo!

Entretanto ainda houve tempo para passeios em família, visitas aos piratas (2 dias depois os manos ainda falam a toda a hora!!!) e viagens a lojas de electrodomésticos não planeadas...
Por aqui se têm passado os dias...assim...

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Aiiiiii o carro!!

É que não faltava mais nada agora que era o carro começar a dar problemas!
Um carro de 2004 não é velho caramba! E está muito bem estimadinho!
Ainda me lembro do dia 22 de Dezembro, depois de ter feito uns 500 km, depois de uma manhã de reuniões de avaliação na escola onde estava a fazer o estágio, e o meu pai disse que ainda dava tempo de passar pelo trabalho. Lembro-me de estarem os dois (os meus pais) a abrir a porta do armazém e dou com os olhos no meu Fiestinha (conhecido como Ford Fiesta!!) brilhante brilhante! Tinha sido entregue no dia anterior e era novinho em folha...marcava 20 km... Ai senhores, como eu delirei!!! E eu que sonhava com um carrinho em segunda mão (e que era para ter sido, não tivessem tentado enganar o meu pai). O meu pai acho que tinha ido ao gabinete mas tinha-me deixado a chave na mão, meto-me lá dentro depois de ter abraçado a viatura e ter agradecido milhões de vezes aos meus pais, preparo-me para o tirar e só me lembro da minha mãe a me pedir para deixar estar que o meu pai o tirava...lolol...eu sei que ainda nem tinha a carta havia um mês, mas cá fui eu, e foi o início de uma bela relação entre nós!!!

E o felizes que temos sido...o que já percorremos e as memórias boas que criámos...sim, é só o meu carro, e é só um Fiesta, mas foi o meu primeiro amor de 4 rodas!!!

domingo, 27 de julho de 2014

Momento fofinho do dia #1

Mãe e pai dão um abraço apertado quando se encontram no frigorífico enquanto as crias já estão sentadas à mesa a almoçar.

I. - Mãe, eu quero encontrar uma menina para casar!
Mãe - Oh filho, deixa lá que tens muitoooooo tempo para procurar!
I. - É que quero dar abraços assim apertados nela também!

Tenho em casa um pequeno Don Juan!!!!

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Coisas que eles dizem #3

Pérola para começar o dia:

Mãe- I. não te levantes para a mãe te limpar o rabo.
I.- Rabo?!!! (Gargalhada) Mas eu não tenho rabo!
Mãe- (A controlar-se para não se escangalhar a rir) Ohhhh então? !
I.- Então, o cú dos meus amigos chama-se rabo. O meu cú chama-se cú!!!

Há que chamar as coisas pelos nomes...mas ele bem podia deixar estas questões de anatomia para daqui a uns tempos... ♡

terça-feira, 22 de julho de 2014

Importância das pessoas



                                                                      Imagem daqui

Há muita gente que ainda não percebeu que tem para mim a importância que eu lhes dou, e não a importância que elas acham que têm.
Este post é dedicado a duas delas que acharam que nós não tínhamos vida antes de aparecerem, que eu não tinha amigas e precisava desesperadamente de "desabafar" quando a realidade era bem o oposto. Era e é!
Ela dá-se bem com toda a gente e é uma delicadeza. Adora a sogra e dá-se muito com ela. Nas costas fala mal de tudo e de todos, mas sempre com o seu ar delicado. E chora, e diz que chora. E defende o marido mas chora que ele não é perfeito como ela quer.
E adora crianças e queria filhos, mas olhava (e olha) de soslaio para todos os que não são dela como se se tratassem de criaturas inferiores.

E eu, bem...eu aguentei até onde me apeteceu...até que deixou de ter piada. Até o meu I. começar a perceber das coisas e não lhe apetecer meter-se com ela porque é esquisita (já disse que este miúdo é um orgulho...e a pequena também, claro! <3). Esteve lá uns tempos metida com os botões dela e deixou-me em paz...mas não é que agora lhe deu na veneta outra vez a se reaproximar?!!!!

Haja paciência...um dom que infelizmente Deus não me deu!!!!



Diz que sim, que está mais fresco!

Por isso é que deixei o carro ao Sol, durante 20 minutos, às 10h.
Quando voltei o termómetro marcava 43º...sim...deve estar mais fresco...

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Back home

Estamos de volta a casa!
Quase um mês depois de ter começado o reboliço daz remodelações, fizemos a revelação aos pequenos que ainda não tinham voltado cá. 
Adoraram!! E é vê-los passar pelo hall e passar a mão pelo papel de parede (o que eu não acho rande piada, mas a casa também é deles e o que interessa é que a vivam na sua plenitude), e o I. contar a toda a gente que encontrou que a mãe e o pai têm uma parede nova azul no quarto e que a casa está muito, muito bonita.
Aproveitámos e tiramos as grades da cama da R.. É certo que está só com quase 23 meses, mas nisto é igual ao irmão,  e tal como fizemos com ele, prefiro que caia da cama para os colchões que temos no chão do que estar erradamente descansada com as grades e dar com ela a trepar, como amvi algumas vezes.
Foi a segund noite e so far, so good...apesar de não fazer ideia como ela acordou hoje de manhã com a cabeça virada para os pés da cama :p.
Ontem até deu para dar um pulinho à praia.
Já disse que adoro os fins-de-semana?!!

sexta-feira, 18 de julho de 2014

5 meses

Faz hoje 5 meses, sensivelmente a esta hora, que perdi o meu pai.
Não era propriamente uma das primeiras mensagens que queria escrever, mas sabia que mais dia menos dia ia revisitar este assunto que marca de forma tão profunda o meu coração. Pode parecer estranho mas nunca me fez impressão falar sobre a doença e mais tarde a perda do meu pai. Falar sobre ele é recordá-lo com tudo o que de bom ele brindou a vida de quem o rodeou.

Lutou 3 anos. Sem dor, sem sofrimento, além daquele provocado pela incerteza do que a doença poderia fazer. Chorámos, eu e a minha mãe, muito. Ele pontualmente, muito, muito pontualmente, talvez uma vez por cada um desses 3 anos. Tenho dito que esse é um dos legados que deixou, a vontade de viver e o optimismo sempre e até ao último suspiro!

Há tantos pormenores, tanta coisa que gostava de partilhar...
Teve um carcinoma na boca. Foi operado e era para ter ficado no IPO uma semana...mas uma infecção manteve-o lá um mês. A minha mãe esteve sempre ao lado dele e nós íamos duas vezes por semana, eu, o piratinha que tinha na altura 4 meses e o S.. Esteve sempre positivo e às tantas louco para voltar para casa...naturalmente :).
20 meses (um pouco mais, talvez) depois e o diagnóstico de cancro do pulmão. Novo choque e de novo arregaçar as mangas para ir à luta...disse ele à minha mãe que tinha curado um, ía curar outro! Agarrei-me a isso! No período pós-diagnóstico e pré-tratamento, fez um exame na medicina nuclear e, este não tinha nada a ver com o outro...este não tinha cura! E lidar com isto?! O meu pai nem ligou...bola para a frente e eu, embalada pelo seu optimismo, sempre acreditei que havia muito caminho para percorrer!
Nesse Natal (2012) estava internado, saiu na véspera ou ante véspera de Ano Novo, por um descontrolo nos níveis de um ião. Litradas de soro não serviam de nada e foi um Natal...bem...só houve Natal por causa dos miúdos. 
Fez quimio e radioterapia. Desapareceu tudo...Muito, muito bom, segundo o oncologista...vamos ver até quando. Nesse Verão, o ano passado, ia fazer a remoção da hérnia Os valores das análises vieram estranhos e a anestesista mandou repetir passados uns dias. Nada que impeça a cirurgia disse ela aos meus pais. Dispararam os meus alarmes! Não sendo médica achei estranho um médico correr riscos com as alterações nos iões, e mais, sem que ele tivesse conseguido fazer com sucesso alguns exames respiratórios (por causa das sequelas na boca). E foi a primeira vez que me coloquei em acção e comecei a participar activamente nas consultas. A minha mãe esteve sempre na linha da frente e sempre falámos todos muito sobre o percurso que estava a ser feito, sempre concordei com eles e esclareci no que era necessário, mas a minha mãe estava muito abatida (como de resto seria normal) e o facto de eu ter conhecimentos na área tornava-me mais alerta para estes pormenores. Voltámos à consulta de anestesia e continuava na mesma. Não podemos operá-lo com estes valores.
De Novembro rapidamente chegou a Janeiro. Nova TAC e a 6 de Janeiro a confirmação...estava doente de novo :'(. Nova quimio mas mais leve...estranho. À saida e entre dentes perguntei se era paliativa...respondeu-me que quando volta, adoença é muito mais agressiva...encolhe-se e diz que não vale a pena fazê-lo sofrer. Aguentei-me e quando saímos do hospital fui ter com o S.. A primeira coisa que lhe disse foi...é em 2014 que fico sem o meu pai! Não me lembro a última vez que tinha chorado assim...
Esteve sempre lúcido e capaz, mas perdia a força, caiu algumas vezes o que nos partiu o coração. Uma noite foi para o hospital porque tremia, tremia, tremia, chegou lá e a minha mãe achou que tinha febre...confirmou-se. Tinha febre e uma pneumonia, da qual estava recuperar bem...só soube disso 5 dias depois porque não havia um médico fixo para falar com a família. Independentemente disso, foi bem tratado.
2 dias depois de ter ficado internado a minha mãe apanha uma gripe brutal e fico eu a fazer-lhe companhia. 3 dias na visita completa. Ele dormia bastante, descansava, conversávamos, pediu-me uma lista de coisas para levar, perguntei se queria o jornal e disse-me que não...não se descosia de que estava a ver cada vez pior. Punha-lhe creme, ajudava nas refeições...e a minha mãe melhorou. Voltei com as coisas que me tinha pedido. E os chinelos azuis, trouxeste?! Oh pai...esqueci-me! Aquele olhar que diz...só têm cocó na cabeça, mas a rir...como tantas vezes disse quando gozava comigo e com o S. Rimo-nos! Disse-lhe, a mãe está lá em baixo, agora ficas mais tranquilo, mais calminho com ela...e respondeu-me, abraçado a mim como tantas vezes tinha feito naqueles dias, que também estava muito bem comigo. Ainda hoje tenho o coração cheio ao recordar esse momento. Disse-lhe que o amava...sem reservas e de boca cheia. Ele sabia, eu sabia, mas nunca tinha sido dito assim, com todas as letras. E disse-o todos os dias, daqueles dias. Não sabia bem porquê, mas sabia...
Vim para casa e liguei à minha mãe. Já te ligo que a médica vem aí. Uma hora e meia e nada. Ligo de novo. A minha mãe meia atarantada diz que o meu pai não estava consciente. Não está consciente como? Está desmaiado, não acorda como??? A enfermeira não lhe dá um apertão no dedo como no outro dia?!!! Como está inconsciente??????? Diz que tinha o corpo em falência. Não parecia. Nunca imaginaríamos...nunca!!!!!
Liguei para o S. no trabalho. Vais dar aula? Não, pede substituição, vou-te buscar logo (eu tinha levado toda a gente e teria que os ir buscar) e aos miúdos e vou para o hospital. Assim que lá cheguei trocámos os planos...ele foi-me levar ao hospital e tratou dos miúdos o resto da noite.
Coma. Estava em coma. Ao olhar dormia. Com biombos dos lados, com o indicador ligado ao oxímetro, manga da pressão arterial e uma máscara de oxigénio. Falámos toda a tarde e noite com ele, até quando nos pediram para ir descansar, já bem depois da hora de término das visitas. Demos-lhe a mão e falámos, as duas, uma de cada lado...as tuas mulheres! A dada altura quase que obriguei a minha mãe a comer e ficámos só os dois. Falei...do orgulho e do amor que sinto, agradeci por tudo, tudo, até do chuto no cú em Nantes por causa da foto ao eléctrico! Principalmente pelo amor que sempre me foi dado, pela presença, pelo orgulho em mim que também nunca foi dito em voz alta mas se via em todos os gestos. Fui tão desejada pelos meus pais...o teu paizinho tinha-te loucura disse-me há uns dias a minha prof da primária! Disse-te, naquele momento a dois, que me ia custar horrores, mas que quando te sentisses preparado, quando achasses que era a hora, que podias ir, nós ficaríamos bem e eu, apesar das cenas com a mãe, iria cuidar sempre, sempre dela...e ri, e a seguir chorei. Não o queria pressionar, mas não o queria manter preso se fosse a altura...como sempre viveu a sua vida...decide tu! Nem acredito que tive coragem...e mais tarde vim a saber, por uma amiga enfermeira (de doentes oncológicos fora do país), que foi uma prova de amor...nem sei ainda se é isso que penso, mas foi o que senti na altura. Não suportaria a ideia de o ver sofrer. E ele não merecia! Não sofreu!
Chorámos o caminho todo de volta a casa. A minha mãe ficou a dormir aqui..fechámos os olhos...a angústia e o desespero tomavam conta de mim...Não nos ligariam se houvesse alguma alteração. Combinei com a enfermeira chefe que às 7:50 ligaria. Liguei às 7:45h porque já não aguentava mais...e o medo das notícias?!!!!
Está acordado e muito bem disposto! Chorei de novo e voei para contar à minha mãe, encolhida no sofá. Podíamos ir logo às 9h (novamente fora do horário...a situação assim o permitia) mas iam fazer as tarefas nos quartos e fomos mais tarde. 10:30h e a porta do quarto fechada. Passa o auxiliar e diz-nos que nem parece o mesmo...olhámos uma para a outra e a minha mãe sibila que às vezes as melhoras...só lhe respondo que temos que aproveitar todos os minutos e...oiço a voz dele! 
Estava sentado na cama, bem disposto! Agarrei-me a ele, não me lembro se as lágrimas chegaram a cair...o susto que nos pregaste, disse-lhe! Quero ir para casa, eu estou bem, respondeu. A minha mãe contou-lhe que estivemos lá durante a noite, que falámos muito com ele...ouvi tudo, respondeu-lhe! A sério?!! Sim, ouvi tudo! O ritual do creme, as festinhas e os abraços. Respirava melhor. Veio a médica falar connosco fora do quarto e ouvi-o a reclamar...eu estou aqui! do género...venham mas é para perto de mim! Vamos já, a médica está aqui...ahhh, ok!!!
Almoçou. Comeu a fruta. Ia comer o pudim. Cansou-se. Dificuldade em respirar e os braços a mudar de côr. Corro a chamar o enfermeiro. Temos que colocar a máscara...já estava, primeiro fiz isso e deitei-o. Oxímetro de novo. Tudo a descer. A minha mãe não se tinha apercebido, estava a arrumar qualquer coisa. Dou-lhe um berro para ir chamar de novo o enfermeiro...hoje já não sei se fiz bem ou mal...não sei qual teria sido a reacção dela a presenciar tudo, tudo. Calmo, fez força para respirar. Estava decidido a viver. Beijei-lhe a testa coma fazia. Repeti tantas vezes, tantas, que o amo. Olhou para cima. Fechou os olhos tranquilamente e deixou-se ir. Pediram-nos para sair. Demos-lhe um beijo, a minha mãe ainda meia sem perceber. Não quis sair, mas já não podia ficar. Batia ainda, fraquinho o coração. Desabei. Saíram as médicas e disseram à minha mãe que não tinha sofrido, que não se apercebeu. Pudemos voltar à sala e despedir-nos. Tão tranquilo. 
Não tinha pensado no que viria a seguir. Vão para casa e peçam a alguém para vos ajudar nos procedimentos seguintes. Sentámo-nos no sofá onde por aqueles dias nos sentámos várias vezes, em frente ao elevador, ao lado do quarto...logo ali ao esticar de um braço...e ele já não estava ali. 
Sequei toda. Liguei para o S.. Estava a dar aula. Chamem-no. Vai demorar um bocadinho a aula, é urgente?! Sim, CHAMEM-NO!!!! Ele percebeu logo! Jamais interromperia o trabalho se não fosse verdadeiramente importante. Nem me lembro o que ele me disse. Foi-se vestir e foi ter comigo a casa. Demorámos a sair do hospital...ainda pensei que se esperasse o podia ver ainda a passar. Ia demorar disseram-nos.
Revivo ainda cada segundo daquela manhã. A vida, a alegria, a força e o exemplo. Repeti várias vezes à minha mãe a forma tranquila como aconteceu e que fechou os olhos antes de deixar de respirar...hoje penso de forma completamente diferente. O fechar de olhos foi diferente, não como quando se pestaneja ou se adormece. Foi uma opção. Não sei o que viu, quem viu, ou o que ouviu, mas acredito que algo ou alguém o tranquilizou e o recebeu. 
As palavras nunca conseguirão transmitir o valor do que significa para mim ter estado com ele até ao fim. 
5 meses depois ainda não acreditamos. Daqui a um mês faria 63 anos...e o que sinto continua tão inalterado.
É preciso fazer o luto, mas como?!!!! Como se reage a ter perdido um pai, e não um pai qualquer?! É suposto chorar a toda a hora e mostrar que sofro, que sinto uma falta tremenda só da presença?! É suposto andar para a frente e fazer de conta que não se passa nada?! Tenho que pensar nos meus filhos e ser forte dizem-me. É um facto! E eles estarão sempre no topo mas, fará isso com que eu esqueça a saudade imensa que sinto?!!!
Partiu! Há 5 meses que partiu! Já não está doente e imagino-o a conversar com quem já cá não estava também, a rir, com aquele sorriso tão característico e a gargalhada sonora. Lembro-o assim...tão vivo!!!
Partiu

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Coisas que eles dizem #2

Vindos de um passeio nocturno.

Mãe - I., a mãe está muito orgulhosa de ti, muito feliz! É assim que te deves portar, sem birras! (Ele a pensar na sua vidinha...) Ouviste o que a mãe te disse?

I. (com os olhos muito arregalados e as mãos a conversar também) - Claro mãe!!! Foi isso, exactamente! 

Ouve-se a gargalhada estridente do pai que percebeu...filho...falhaste no teste da atenção! A genética é tramada!!!

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Aviso à navegação!

Por estes dias há muito trabalhinho nestas bandas e não devo escrever.
Na sexta-feira será um dia particularmente emotivo e como estarei por fora, acabei de agendar um novo post.
É longo, é duro, tem alguns pormenores, foi muito doloroso de escrever. Mas também sinto que é necessário, terapêutico até, diria, para mim. 
Porque algum dia vou ter que lidar emocionalmente com o que aconteceu e ainda estou a tentar descobrir como...

Marisa...porque é sempre importante relembrar!




Não sou a fã nº1 da Marisa. Nunca fui. Mas adoro a música, a letra, e juntas acho um trabalho fenomenal.
Porque a mensagem é sempre importante e vale a pena relembrar...porque não rapidamente nos esquecemos...

O que eu preciso hoje?!!!

É só o euromilhões!

terça-feira, 15 de julho de 2014

Ouvi dizer Saldos?!!!

O S. ainda me disse ao telefone...lá longe...muito longe...cuidado com o dinheiro...
Mas juntou-se a fome (estado mais em baixo), com a vontade de comer (necessidades dos metralhas e da mãe, vá!!!) e cá vai disto!!!

Toma lá morangos!!!

Eu não digo que tenho um dedo que adivinha?????
Pela segunda vez "adivinho" que a minha vizinha está grávida...pra falar comigo tinha que ser!!!!!

Sim, que esta coisa de ter estado grávida 4 vezes também nos dá algum poder de adivinhação!!!

Um bocadinho apoquentada, vá...

Fui a uma entrevista de trabalho para a qual já sabia que havia uma pessoa destinada para a vaga. Não fui preparada, é um facto. Mas precisava as pessoas serem tão arrogantes e mal educadas????
E desde quando um canudo serve para desrespeitar as pessoas??? Se as fiz perder tempo...pois...eu também perdi o meu e nem por isso retribuí na mesma moeda...talvez devesse!!!!
Se me irrita não ter ficado com o lugar...irritar não, mas era um bom trabalho, ainda que nada a ver com a minha área. O que me tirou do sério (até falar com o meu S. que compreende tão bem!) foi eu ter dito claramente que não sabia a uma questão muito técnica e específica da função para a qual eu não tenho absolutamente nenhuma experiência. Mas eu tinha que tentar...ou vou ficar à espera que me caia trabalho no colo?!!!!
Revirar os olhos...franzir a boca...risinhos maldosos?!!!! Pois a doutora e as restantes técnicas operacionais, antes de terem procedido assim comigo e com algumas das outras pessoas (que depois compreendi as suas expressões quando saíam do gabinete), se é pelo gabarito da formação, deviam ver os currículos dos concorrentes...é que a doutora é tanto doutora como eu, e se há coisa de que me orgulho é que sempre tratei os meus colegas (com posição hierárquica inferior) de igual para igual e sem peneiras...é que há coisas que o meu canudo não me deu, essas ditas peneiras ou ares de superioridade...nem me tirou, que a educação que os meus pais me deram e a humildade (sem falsas modésticas) é uma coisa que fica sempre muito bem!!!




segunda-feira, 14 de julho de 2014

Coisas que eles fazem #1

Ora bem que se pegam, oram não se largam. Ora não se podem ter no campo de visão um do outro, ora andam de mãos dadas a dizer que vão passear.
Ontem foi um dia de mimos e abraços...e partilha de gelado!
Até este Verão I. não comia gelado...dava duas lambidelas numa colher e estava saciado. Ela este ano está no mesmo...quer, quer mas passa-lhe depressa.
Ontem, comia ele o último mini corneto de morango (marca PD pois claro!) e ela embirra que também quer. Quase vinha a casa abaixo senão eis que o meu super-herói pede para sair da mesa e diz que vai dar um bocadinho à mana. 
Deu gosto de ver...muito pouco higiénico, é verdade, mas lindo da perspectiva de uma mãe para lá de babada...lambidela a ti, lambidela a mim...e assim partilharam um nano gelado! Ahhhhhh mas só a parte de gelado mesmo, que a bolacha meus amigos, o I. não partilha nem com a sua sombra!!!! É só para meninos crescidos, não é para manas!!!!

Falsas esperanças homem?!!!

Há uns tempos que o S. me diz para não lhe dar falsas esperanças...eu ora digo sim...ora digo não...é verdade! Mas com os miúdos a coisa não é só pensar e vamos lá.

A R. quase a fazer os 2 anos e desenrascada como é, abre-nos a porta a possibilidades que não se colocavam há uns anos (3, precisamente). Ora...ir acampar!!!

Nós somos 2 convertidos e adoramos...até pode ser coisa de pobre como às vezes já me têm dito, mas no Verão...ADORO!!! E a ideia é convertê-los o quanto antes...se bem que acho que como eles são já o estão por natureza.

Levamos a nossa barraca ou alugamos bungalow. Ainda há as caravanas para aluguer...mas será que se mantém a essência da coisa???
Viro e busco a Net à procura do ideal e...claro está, o ideal é uma fortuna!!!
Marido, se me estás a ler, prepara-te que hoje tenho uma proposta bem fundamentada em factos, vantagens, benefícios e (uma) desvantagem (o valor!).

Mas não me venhas dizer que são falsas esperanças...e só não vamos já hoje porque trabalhas até tarde pra xuxu!!!

Coisas que eles dizem #1

Dizem que as mulheres é que são desenrascadas...é porque não conhecem o meu filho!!! <3

3 anos de gente. Começou a falar aos 7 meses e nuncaaaaaaaaaaaaa mais se calou. Verídico! Confirmado cá em casa, na escola e em qualquer lado que vá!
Modéstia à parte fala por sete cotovelos mas fala bem, que isto cá em casa não há pipipi nem popopo...aprendem a falar mas a chamar os devidos nomes às coisas...se estamos certos ou errados, não sei, mas que me orgulho do meu filho falar bem...é um facto! (Ela é mais pasteleira e mais caladita, mas com a pedalada dele tem desenvolvido a linguagem que não é brincadeira).
É verdade que ele está a adquirir vocabulário a uma velocidade estonteante e faz imensas perguntas que eu preso não deixar sem resposta, mas quando ele não sabe uma palavra também não se enrasca...ficar calado é que NÃO pode ser!
Este fim-de-semana, tudo a comer sardinhas (adultos diga-se) e a minha ia cair do pão, diz ele...denta mãe, denta!!!! Meaning...morde mãe, morde! E sim...disse-lhe como se dizia, depois de me refazer do ataque de riso e de orgulho do raciocínio dele!

Ontem depois do banho deles, os dois enroscados nas toalhas, diálogo entre nós os 3: 

I. - Eu sou um super-herói! 
R - A mano pé heói! 
Mãe - R, e tu também és um super-herói?!!!
I. - Não mãe, a R. é uma super-heróia!

E orgulho dele a perceber que está a aprender?!!!! <3

E sabes que andas a pedi-las...

...quando acabas de remodelar mais de meia casa, e dás contigo a ver catálogos de cozinhas...

The end!

Ora bem...a organizar as ideias que o desenrolar da história ainda foi atribulada...
Afinal não era possível a entrega na Sexta-feira, teve que ser no Sábado. A partir das 10h. Às 11h estavam novos senhores  miúdos das entregas cá em casa. E...tcharam...nova cabeceira partida, menos, e no mesmo local! Pois que vai de volta! A rapaziada ainda tentou dar lá uma porradinhas a ver se passava mas, lá se foi ela.
Ao contrário dos colegas anteriores, bem mais batidos no assunto, digo eu, não ligaram para a colega da transportadora, nem para a loja...estranhei e perguntei o que se seguia. Ah "a gente" liga para eles depois e elas ligam-lhe para dizer alguma coisa.

Passadas umas 4 ou 5 horas liguei para a senhora da transportadora, que nesta altura já nos tratávamos todas por tu, e diz-me que tinha ficado a saber havia pouco tempo o que se tinha passado e que ia entrar em contacto com a loja, que entretanto da loja me ligavam. Vim de arrumações com o S. e às tantas olhava para o quarto e crescia-me uma coisa...uns azedos...e não estava a conseguir fazer nada. Pusemos a mobília toda de volta no quarto e decidimos fazer-nos ao caminho até à loja...ou armazém, melhor dizendo, que se fosse à loja era logo para uma reclamação! (Da qual ainda não estão livres!). Honestamente, nesta altura já não acreditava que as coisas resolvidas ao telefone dessem em nada!

Quem estava de serviço? A rapariga que nós conhecemos! "Olha, já sei o que aconteceu e já está ali uma nova para entrega amanhã. Devem ligar ainda hoje a informar." Conversa daqui e dali e pedi que abrissem logo para não ir outra amassada. Eram 11 cabeceiras, duas vinham com mossa no mesmo local e devia ter sido alguma coisa do transporte.

Domingo, 11h...senhores de Quinta-feira e uma cabeceira intacta! Cliente minimamente satisfeita...não fosse esta história rocambolesca! Fechamos a porta e vou ler a guia de transporte e factura final quando leio, na parte das observações o que as criaturas iluminadas escreveram como motivo para a cabeceira ter ido de volta, de novo... a cliente diz que a cabeceira é a mesma e que está partida no mesmo sítio".
Eu NUNCA disse que era a mesma!!!!!

O que me chateia acima de tudo é que o melhor é não ter conhecidos nestes locais, principalmente se nos dermos bem com eles. O vendedor é uma pessoa que conhecemos e a quem deu jeito a comissão da venda. Numa das vezes que reclamei ao telefone a senhora disse que ia falar com a chefe dos vendedores para os repreender (mal sabia eu que a rapariga que estava ao lado dela era a mulher desse vendedor...a tal que eu conheço...confuso hein?!) ...ressalvei que o vendedor seria a última pessoa a ser chamada porque nos deu todas as informações, mas ao que parece a funcionária fez mesmo a reclamação. A mulher do vendedor, como é óbvio ficou preocupada com o que eu tinha dito! No Sábado esclareci tudo e arrumei o assunto. Até lhe pedi para que abrissem mesmo a caixa para ver se estava tudo bem porque podia ser mesmo alguma coisa do transporte...e aqueles...miúdos escrevem uma trampa daquelas!!!
Eu não sou imaculada e também faço/ digo bosta, mas assumo quando assim é...

O que vale é que adoro o resultado final!!!

sexta-feira, 11 de julho de 2014

A remoer na preguiça

Estava a tentar levantar-me e fazer alguma coisa em prol da nossa modesta habitação e sinto-me invadida por uma enorme vontade de continuar sentada a engonhar...felizmente estas coisas não me dão muitas vezes!
E dou comigo a pensar porque é que me sinto assim...como é que raio começou o meu dia para já me sentir tão sem energia?!!!
Pois bem...I. acorda a sorrir e todo dengoso, mas peço-lhe para se calçar para ir dar um beijinho à avó e acordá-la e começa de birra. Não queria porque não queria sair da cama...quero dormir mais um bocadinho, disse ele...olha deita-te mais cedo, que é tipo, quando eu te digo para te deitares, em vez de pareceres uma pulga ou sei lá que bicho mais que não pára um segundo. Sô dona R. é que é um descando para dormir...não quer a cama, peço um beijo. Não dás? Vou-me embora. Um "beso" à mãe, pede. Então deita-te! Trocamos beijocas, pega na fralda, coloca-a debaixo da cara, chupeta espetada na boca e pode cair o mundo que só acorda de manhãzinha.
Pois bem...crianças a caminho da creche que hoje foi só o pai levá-las e eu volto para a cama...descansar só mais um bocadinho digo eu, que dormi mal...e porque o padeiro só chegava depois das 9h (padeiro de reformados/aposentados) que quem trabalha não se compadece destes horários!
Meros instantes este a minha cabeça na almofada e ouço "sarrabulho" no andar de baixo (cada dos pais com 2 andares). Senhora dona minha avó materna na sua visita/irritanço semanal. Vou não vou...aiiiii que eu gostava tanto de descansar só assim...10 minutinhos pode ser?!!!!
Lá me bater uma necessidade de salvar a minha mãe do martírio e de lhe dispararem os níveis de açúcar...mãe diabética que em situações de stress fica completamente alterada nos valores. Vesti-me toda arranjadinha e vou à cozinha toda bem disposta. Apaziguei a coisa sem deixar de fazer valer as necessidades da minha mãe...correu muito bem, todas amigas como antes e a minha avó (a preferida, mas andamos de candeias às avessas já lá vão uns tempos...coisas para outro dia)) lá seguiu o seu caminho.
Beijo à minha mãe que vou para casa tratar das cenas. 
Volto atrás que me esqueci de qualquer coisa e digo-lhe...olha, vou meter gasolina e vou passar pelo cemitério. É marado, eu também acharia, mas já não ia há quase um mês e apeteceu-me. Ela iluminou-se e quis ir também. Estava quase pronta. Só faltava o coração com a foto que encomendámos e a jarra que a minha mãe comprou. É marado, eu sei, mas senti alívio. Hoje fica tudo arranjado. Sentar-me-ei a conversar com ele, como em qualquer outro local, eu sei, mas ao menos sei que o corpo está ali. Chorei. Já não chorava assim, com aquele aperto no peito vai para uns dias bons. Ver a fotografia naquela nova e tão polida traz ainda maior noção da realidade. 
Estamos a fazer tudo o que podemos...pena não ser mais...

E este era para ser um post leve...pois era, e eu também queria estar a bombar de energia...


Venha de lá o fim-de-semana!

O nosso começa já às 14h!!!
Que isto entre limpezas, arrumações, furinhos e novas disposições, também há tempo para sardinhadas com "arjamolho", mergulhos na piscina insuflável (mãe e pai incluídos, que aqui não são os pequenos que fazem a festa!), praia, esplanada (quintal dos meus pais) a conversar e ser devorada pela mosquitaria!

Muitos afazeres, portanto! 
O melhor de tudo?!!! Estarmos juntos e dar muitas, muitas gargalhadas!!! (alegrem-se as aves de  mau agoiro...também há direito a muita birra!!!!!)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Dias bons bons bons...

Mesmo nestas atribulações diárias, acabo por conseguir encontrar uma forma de relativizar. Sim, dá-me uma irritação do camandro, viro-me e mexo-me para resolver o que aparece.
Nem sei se foi com a idade, acho mesmo que foi com as voltas que a minha vida tem dado, que me fizeram perceber que há coisas/situações/pessoas com quem não vale mesmo a pena perder tempo e ponto.
Quando perdi o meu pai, no desespero, na loucura, na alucinação, dizia que tinha perdido os filtros, mas pensei que era coisa do momento e que a minha "sobriedade" voltaria em breve. Não voltou...aliás, sinto que agora sou uma pessoa bastante mais sóbria. Se era preciso perder o meu pai...óbvio que não, bastava fazer uma retrospectiva da sua vida e era o bastante, mas tendemos a esquecer-nos de fazer esses exercícios.
Se há coisa que me deixa um pouco mais tranquila e feliz (se assim o posso dizer) é sentir que o meu pai foi um homem feliz. Ele próprio o dizia! Comia e bebia como queria (não era um bom garfo nem um bêbado lol), mas sabia divertir-se nas variadas situações, em petiscadas, festas, convívios, comemorações em geral, viajou (não tanto quanto sonhava e contava fazer ainda), criou, e muito bem, digo eu, uma filha, e passou uma vida com a mulher que amou e sempre o proclamou. 
E é assim que eu quero viver a minha vida, feliz e sem filtros...dizer no que quero, quando quero, estar perto e conviver com quem escolho sem ter se sentir que tenho que aceitar quem me é importo. Not anymore!!!!!!

O resto...o resto é paisagem!!!!
By the way, vou só ali buscar os metralhas e vamos curtir o resto da tarde...ser feliz e fazê-los felizes...bem como eu gosto!!! <3

Surpresa!!!!

Se chegou ao fim a odisseia "cabeceira"? NÃO!!! Mas ao menos hoje já me consigo rir acerca da coisa.

Novos desenvolvimentos e a esperança de que efectivamente este assunto esteja a chegar ao fim: ao fim do dia (20h, vá) ainda não me tinha ligado ninguém de lado nenhum a dizer a hora da entrega. Desato a ligar para a loja e ninguém atendia. Como eu era moça que até estava a conduzir e fui preparada com o auricular, deixei tocar até...ser atendida! E fui muito bem tratada e com toda a delicadeza (já deviam ter escrito algum comentário na minha ficha, suponho, pela diferença no tratamento), explico que precisava de me orientar e que por hora ninguém tinha dito niente. Desligo o telefone e 2 minutos ligam da transportadora...tinham tentado ligar e a linha estava impedida...Boa Rita! Estava a ligar para os outros. Enfim...que sim senhora, entrega amanhã, cabeceira, cama e colchão...oi?!!! Cabeceira?!!! Diz que sim, a colega da mega loja pediu para informar que ia a cabeceira também. Imaginem esta pobre criatura descrente a rir à gargalhada em pleno Pingo Doce...e mais, notem que eu gosto de ser uma pessoa discreta!
Chego a casa e comunico às gentes que...diz que vinha a dita cuja...mas ver para crer passou a ser o meu lema.
E não é que os senhores entregadores trouxeram a peça e que eu gostei mais ainda do que quando a vi na loja?Pena estar...PARTIDA!!!!
É verdade! Se esta novela podia ter terminado hoje? Podia, mas não era a mesma coisa!!! Ah pode ficar com esta para desenrascar e trazemos depois a outra. Resposta minha...se é para ser trocada leve-a agora e traga-me só uma que está boa. Por momentos ainda pensei que fosse a que estava em exposição, dados os desenvolvimentos dos dias anteriores, mas o homem lá ligou para a loja a explicar que era uma devolução e para fazer o desconto no que faltava pagar e diz-me ele...olha, amanhã já trazemos uma nova porque têm 11 em stock. Quase me atirei ao ar! Ontem não tinham nada e só vinham a 22 e hoje têm 11...ahhhhhh que maravilha de serviços em que ninguém faz ideia do que anda a fazer...ou então é culpa do sistema informático...
Então, como não nos podíamos ficar por aqui, liga-me passado umas duas horas uma funcionária do armazém, que por coincidência eu conheço, e diz-me que afinal não podem trazer amanhã a coisa nova porque têm que receber primeiro a estragada, dar entrada, para poder a nova dar saída no armazém. Agora pergunto eu...e se eu tivesse ficado com a partida para desenrascar?!!!!! 

Piadas à parte, que esta situação possa servir de alerta para quem está na mesma situação. Fazer barulho compensa sim! Com educação, é claro, porque insultar e ofender nunca são solução e temos que nos colocar na posição do outro que nos está a ouvir!

quarta-feira, 9 de julho de 2014

Continuação da novela "Cabeceira"

Pois que hoje é um novo dia e a rapariga ontem não voltou a ligar! Esperei um pouco esta manhã e, cá vai disto outra vez!
Novidades do dia: confirma-se a entrega da cama e colchão, mas a p$"#& da cabeceira ainda não está disponível...sim espantem-se, de novo!!!E mais...não estava prevista a entrega ontem, mas sim dia 2! E mais ainda...agora só está prevista dia 22!

Acho que ainda estou a fumegar pelas orelhas, palavra de honra!
E pensar que amanhã chega a a cama e o colchão e o raio da cabeceira lá anda...vai-me revirar as entranhas todas as noites quando me for deitar...e a ver se gosto tanto dela quando chegar como quando a escolhi!!!!!

terça-feira, 8 de julho de 2014

Das reuniões de fim de ano lectivo!

Daqui a pouco vou à dela. A primeira! É uma fofinha e docinha, mas acho que por via das dúvidas me vou benzer antes de lá entrar!É que é reguila na mesma medida!
A avaliação intermédia foi confusa, não por culpa da educadora, mas porque ela no espaço de um mês mudou tanto, tanto, que a própria educadora, numa reunião que marquei com ela depois de ter recebido a ficha, nos disse que uns dias depois de a ter escrito já alterava muita coisa.
Estou curiosa, confesso! Ela ficou comigo em casa até aos 13 meses e a entrada na creche fez-lhe maravilhas. Tornou-se sociável (que não era!), ainda mais autónoma e desenrascada...sim, que esta miúda é uma fura-vidas, parece até que acordou para a vida...e o irmão agradece!!! Agora vão começar o desfralde...algumas crianças já chegaram aos 2 aninhos e a R., apesar de ser a mais nova pode ser que ganhe balanço e se despache (ir à sanita e vestir cuecas já ela quer!). Digamos que ter um irmão mais velho (e não muito mais velho) pode ser que ajude também nesta fase.

A reunião dele...nem vê-la!!! E saber se vai haver!!! Por motivos de força maior a espectacular e fantástica educadora que tinha saiu, umas 3 semanas sem educadora (havia uma que dava uma ajudinha) e chegou uma nova (que por coincidência eu conheço) e parecia estar tudo encaminhado para que ficasse com eles o resto do percurso. Esta semana juntaram a sala do I. com a dor meninos que fazem os 3 anos até ao fim do ano (de notar que os coleguinhas do I. fizeram todos os 3 anos até Junho e ele é o mais velho), situação normal e que tinhamos conhecimento desde Setembro quando ele mudou para esta creche e vai daí...muda de educadora de novo! E agora??? Quem faz as avaliações das crianças?!!! Let us see...
A verdade é que me custa muito mais a mim como mãe estas mudanças do que a ele. Conhece os miúdos todos da escolinha, educadoras e auxiliares e dá-se bem com todos, e a realidade é que até simpatizo bastante com a nova educadora, mas só de imaginar que vai andar a testá-la por estes dias até me dão comichões...

Adiado regresso

Está certo que a minha mãe não se importa de nos ter mais uma semana lá em casa, e os miúdos que são o delírio e lhe fazem bem, e a agitação lá em casa de novo e patati e patatá, mas eu quero mesmo é voltar para casa que já tenho saudades do meu cantinho!!!!
Ela tem lá os afazeres dela e eu tenho que voltar à rotina para poder criar...novas rotinas, mais saudáveis, que isto está na hora de fazer uma revolução (não é só na casa!!!!).
Mas...depois deste enredo todo com a chegada da cama e consequente reposição dos restantes móveis e adereços aos seus lugares, um pouco por toda a casa, vejo-me obrigada a adiar por mais uma semana...que eu sou rija mas nem tanto!

O que custa mesmo é estar lá em casa e sentir que falta lá uma presença tão, tão importante!!! Mas o pequenos não o esquecem...e ver o I. ( e a R a imitar) olhar para o céu ao cair da noite, com as mãos postas em redor da boca, a procurar a estrelinha do avô e a chamar o seu nome...por mais que tente não chorar...não dá!

Oh pra ela tão só!!!

Esta é a parede azul que aguarda a cama e cabeceira novas para lhe poder voltar a colocar os quadros... Aiiiiiii vontadinha de ter a minha casa nos eixos...

Ahhhh se vos dissesse as palavrinhas que me vão na cabeça!!!

Ou melhor...os palavrões!!!!!

Resumo: dia 30 de Maio comprámos um sommier, colchão e cabeçeira. No dia só tinham para entrega a cabeceira e como na loja "guardavam" a dita para entrega no mesmo dia que o resto, assim foi, e lá ficou. Entrega prevista para HOJE!
Na semana passada ligo (e ligo, e ligo, e ligo, até que resolvem atender!!!) para confirmar a entrega para HOJE e dizem-me que a cabeceira só tinha entrega prevista para hoje e entregavam...amanhã! Comecei logo a fumegar e a pedir uma explicação para o sucediso e a rapariga, bem formada na questão dos telefones, em vez de me colocar a chamada em espera com a musiquita, não...tocou numa tecla qualquer e lá fiquei a ouvir a conversa...pois que podia ter sido a cabeceira que tinha algum defeito e foi devolvida ou...espantem-se...foi vendida a outro cliente que eu depois esperava pela entrega de outra, já que tinha chegada prevista à loja na mesma altura em que devia ser entregue cá em casa.
Ligo HOJE para confirmar a entrega amanhã e para a coisa começar logo bem, um artolas atende o telefone e pergunta a outro como faz agora, o colega responde qualquer coisa para desligar e tufas...desligam-me a chamada na cara. Digo eu que tinha sido ainda mais rápido se me tivessem despachado logo, uma vez que voltei a chatear com chamadas sucessivas.
Lá liguei para o serviço de entregas e...cá vai disto! Rapariga (tinha voz de novinha) muito simpática e prestável, confirma a entrega da cama e colchão na Quinta-feira (WHATTTTTTTT?!!!!!!) e a cabeceira ainda não me sabia dizer se tinha chegado hoje. WHATTTTTTTTT?!!!!!!!!
Diz que liga hoje ou amanhã de manhã para confirmar a entrega. A ver vamos, como diz o cego!
Mas a burra fui eu que desmarquei a consulta de amanhã antes de ligar para dita mega empresa de móveis!!!!!

Vou só ali fumegar mais um bocadinho!!!

Mais uma a falar do tempo

Está Sol, é um facto! Mas e o vento gelado que o acompanha?!!!!
Praia...ainda não fomos! E ontem, num rasgo de consumismo, comprei uma daquelas piscinas já maiorzitas para encher na casa dos meus pais...e cadê o calor para enfiar os miúdos lá dentro?????
E mais...acho que esta ventania gelada está a complicar a cabecinha do mais velho que anda atravessado de todo. Sempre educadinho e bem disposto, agora deu-lhe para a teimosia (extrema), birras e ser ainda mais gozão, tanto que ontem roçou a má educação na creche...és teimosinho meu filho...corre-te mal!!! Calhou-te uma mãe AINDA mais teimosa <3!!!

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Da remodelação que parece não ter fim...

Começou há 15 dias...e duram...e duram...
A bem da verdade já estamos na fase de limpezas, mas a bendita parede do nosso quarto nem sei quantas vezes foi pintada...escapa, não ficou bem como eu queria mas... O papel de parede também se safou! Diziam-nos que era um bicho de sete cabeças mas lá nos orientámos e ADORO o resultado final!
Cortinados e colchas tudo a lavar, limpar todo e qualquer cantinho desta casa é a palavra de honra!
Sim, porque gosto muito de estar na casa dos meus pais e para os manos é uma verdadeira maravilha, mas já estamos todos com saudadinhas de casa...Não fosse a entrega da cama nova ter sido adiada por um erro da loja (que se deve achar a última gota de água no deserto) e este fim-de-semana já estaríamos de volta.

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Público vs Privado

Rita* anda num rodopio de espirros e ranheta há 2 semanas. Rita* vai com as crianças a um espectáculo com a cabeleira ao Sol. No dia seguinte sangue na expectoração e durante mais 2 dias. Devido aos antecedentes familiares Rita* começa a panicar e pensa deslocar-se a uma unidade de saúde.

Opção A: Centro de saúde - 5€
Opção B: Urgência do Centro Hospital da zona - Taxa moderadora bem acima dos 5€
Opção C: Urgência do Hospital Particular da zona - taxa moderadora igual ou inferior à opção B (devido ao acordo com ADSE).


Resultado: Escolhida a opção C. Atendimento muito bom, com uma médica impecável, detectou uma veia sangrante no nariz. Fiz raio-X e pulmões limpinhos, mas expectoração nos brônquios. Provável rinite alérgica que deve ser investigada por um pneumologista. Tempo de chegada até à saída: exactamente uma hora. Preço: 4,99€.

E venho para casa a pensar...e quem não tenha a opção C ou um seguro?!!! A opção A implicava, no meu caso, uma manhã no centro de saúde e uma arrelia porque a minha médica de família podia estar virada do avesso (o que aliás é o prato do dia). Vinha com requisição para o raio-x e quando finalmente tivesse o resultado já me tinha dado a travadinha com os nervos.
No caso da opção B, deviam dar-me uma pulseira verde e saía de lá uns 2 dias depois, sem qualquer resposta.

Nem vale a pena falar do preço, pois não?!!!

Também sei que há excelentes médicos no público (um exemplo brutal é o meu gine/ obstetra) e péssimos no privado, mas quando os bons médicos começam, e rapidamente, a passar para os privados porque dizem que no público não conseguem garantir as condições de segurança e um bom atendimento aos pacientes, é porque alguma coisa não está bem...ou será só da minha cabeça?!!!

terça-feira, 10 de junho de 2014

Melhor, melhor, melhor...

 ... do que ter um marido que fala durante o sono...é ter duas crias que fazem o mesmo!  Uma madrugada destas encontram-se numa amena cavaqueira ;) !!!!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Como perder metade de uma manhã?!!!!

Fácil! Tentar mudar o aspecto do blog, andar para trás e para a frente...e duas horas depois...continuar a não gostar! :(

A "faxineira" que há em mim

Ontem baixou a "faxineira" que há em mim :P.
É certo que como desempregada que estou, todos os dias há coisas para fazer em casa, normalmente tratar da roupa, arrumar brinquedos, limpar cozinha... a comida... Mas de vez em quando gosto de fazer uma revolução...uma limpeza daquelas MESMO a fundo...e ontem foi dia!
A parte parva da coisa foi eu ter feito tudo sozinha! A bem da verdade, foi sempre a abrir,  a malta só chegava por volta das 19h ( sair o pai do trabalho, ir buscar os manos metralhas, passar a casa dos meus pais) e fiz-me ao caminho.

O resultado?!!! Enquanto as crias começaram a comer ainda dei um salto ao super-mercado e assim que me sentei, percebi que o resto da noite não ia ser fácil...arrastei-me literalmente nas compras, e em casa, a casa gesto era um ai...senhores, estou mesmo em baixo de forma :(. Valeu pela cara deles quando viram tudo a brilhar...excepto os vidros, esses, ficaram para hoje!!!

E pensar que daqui a um mês fica tudo virado do avesso outra vez com as remodelações :S

terça-feira, 3 de junho de 2014

O primeiro do segundo!

Primeiro post do segundo blog!
Gostava de pegar na primeira mensagem que deixei no meu primeiro blog...mas não estava nada que se prese.
Fases diferentes da vida, diferentes motivações, um ano de pausa em que tanto, mas tanto se passou.
Porquê um novo blog e não retomar o antigo?!!! Porque preciso, eu própria, de um recomeço e nada mais importante do que libertar-me das coisas (ou das pessoas) que me começaram a afastar do anterior.
A ideia sempre foi estar no "anonimato" para os conhecidos do dia-a-dia, mas acabou por se tornar demasiado publico e dei comigo, em conversas comuns, a aperceber-me de que sabiam de coisas que escrevia no blog e que não lhes tinha dito...nada de mal, mas ao menos assumissem que consultavam o blog em regime diário em vez de fingir que nem se lembravam do endereço.

Anyway...bem-vindos ao meu blog, ao meu cantinho, a um pedacinho de mim na minha vida simples, e aos que já me seguiam...obrigado por continuarem por aqui ;) <3!!